Oi galera, tudo bem ?

A partir de hoje vou compartilhar um pouco do que estou absorvendo do livro “Startup enxuta” do Eric Ries. A leitura tá sendo tão boa desse livro, que quero não só passar para vocês os pontos que eu tô salvando (para a vida!) como também incentivar vocês a darem uma lida no livro.

Para quem não sabe, o Eric Ries é conhecido por criar O Movimento Lean Startup. Essa criação toda surgiu a partir dos fracassos que teve com algumas startups, onde o aprendizado fez com que ele testasse técnicas novas e posteriormente, divulgasse em um blog próprio. O negócio deu tão certo que hoje o cara é uma super referência quando o assunto é métodos de gerenciamentos  adequados a esse tipo de iniciativa(startups) – pondo ênfase sobretudo no aprendizado e na flexibilidade.

Então, você que tá desenvolvendo sua startup, vamos sacar o que o cara fala ? segue aqui 😚

 

1.PENSE GRANDE, comece pequeno.

º Devemos realizar experimentos REAIS, porque assim teremos dados mais precisos sobre a necessidade do cliente. Além disso, observaremos o comportamento real deles, em vez de formularmos perguntas hipotéticas.

º Interagir com o cliente e aprender a respeito de suas necessidades reais é o ponto mais falado no livro. Com essa preocupação nós nos surpreenderemos quando o cliente fizer algo inesperado, revelando assim,  informações antes não pensadas.

º Para mudanças a looooongo prazo, experimente o AGORA ! Ou seja, os nossos experimentos podem começar agora. O planejamento estratégico normalmente leva meses para ser terminado. E nossos experimentos não.😉

No livro, ele pede que a gente decomponha o nosso projeto em duas partes:

  1. Hipótese de valor: Em resumo, é saber se nossos clientes realmente encontram valor no nosso produto. Por exemplo, lançamos um experimento real com um grupo pequeno. A partir daí vamos tirando nossas conclusões. Podemos faze a pergunta do tipo: quantos desses clientes voltam realmente a usar nossos serviços ou produto?

( obs..: Nessa fase é fundamental um experimento simples e com um número pequeno de possíveis clientes)

  1. Hipótese de crescimento: O foco nessa outra parte é como conseguiremos novos clientes, e como eles descobrirão nosso produto ou serviço. Com esse mesmo experimento e com esse mesmo número pequeno de primeiros clientes, a gente aproveita muita coisa. Isso porque esses primeiros clientes tendem a ter uma necessidade mais aguçada do nosso produto/serviço, logo são mais tolerantes com os erros e estão sempre dispostos a fornecer feedbacks.

Uma dica do Eric, é proporcionar uma oportunidade excepcional aos nossos primeiros clientes. A partir daí as perguntas que podem ser feitas: quantos dos clientes realizaram compras? quantos estão dispostos a convidar outros amigos ?

(Durante essas divisões, o nosso plano estratégico pode estar sendo construído em paralelo.)

UM EXPERIMENTO É UM PRODUTO !

É preciso ter em mente que mesmo sendo um experimento, ele será o nosso primeiro produto. É como se fosse oficial. Adotantes iniciais, funcionários.. É fundamental pois quando o produto estiver pronto para ser distribuído de modo amplo, já terá estabelecido clientes, solucionado problemas reais e oferecerá especificações detalhadas para o que precisa ser desenvolvido. Ou seja, o produto é fruto de feedbacks reais e não um lançamento do que talvez funcione amanhã.

Vai guardando aí as dicas porque são boas demais e no próximo post vem só a continuação.( imperdíveis galera, chega nem me atrevo a falar algo rs) Abraço gente 🏆

Compartilhar: